15 fevereiro 2017

Erva sagrada: Abacate!

Erva sagrada: Abacate!



Vamos falar sobre o Abacate, alem de ser uma fruta muito saborosa, tem muitos benefícios para nos humanos, seja ele magico ou medicinal, então venha conhecer um pouco mais sobre essa erva sagrada, e vale ressaltar sempre: Antes de usar qualquer erva medicinal, deve se consultar um medico, para saber se ao invés de fazer bem ela não vá fazer mal a você! Vamos falar sobre o Abacate, alem de ser uma fruta muito saborosa, tem muitos benefícios para nos humanos, seja ele magico ou medicinal, então venha conhecer um pouco mais sobre essa erva sagrada, e vale ressaltar sempre: Antes de usar qualquer erva medicinal, deve se consultar um medico, para saber se ao invés de fazer bem ela não vá fazer mal a você!
 Fora isso use com sabedoria elas J

Uso medicinal:

Nome Científico: Persea americana   Mill.
Família botânica: Lauraceae
Sinonônimos botânicos: Laurus persea L., Persea americana var. angustifolia Miranda, Persea americana var. drymifolia (Schltdl. & Cham.) S.F. Blake, Persea americana var. leiogyna (S.F. Blake) Kelsey & Dayton, Persea americana var. nubigena (L.O. Williams) L.E. Kopp, Persea americana var. toltec Popenoe.


Nomes populares: 
Abacateiro, abacate (Brasil), aguacate, palta, avocado (Spanish), avocato (Cuba), avocado, alligator-pear (English), “Hojas de Palta” (Peru), e li (pinyin, China), palta (English, United States), kalawakat (Mexico, San Miguel, Tzinacapan and Xaltipan), pero avvocato (Itália), avocatier, avocat (França), avokatbirnen (Alemanha). 
Origem ou Habitat: 
América Tropical (Lorenzi e Matos). Segundo outros autores, Perseaé Africana (Scora et al.).
Características botânicas: 
Árvore grande, de copa arredondada e densa, medindo de 12 a 20 m de altura; folhas ovais a elípticas, simples, com pecíolos finos, verdes escuras; inflorescências tipo panículas densamente grisáceo-puberulentas ou séricas, flores andróginas ou hermafroditas, pequenas, perfumadas, reunidas em racemos axilares e terminais, formadas na primavera e muito procuradas por abelhas.
Composição química:
Polpa dos frutos: ácidos graxos (oleico, linoleico, palmítico, esteárico, linolênico, cáprico e mirístico), hidrocarbonetos alifáticos saturados, esqualeno, alcoóis alifáticos e terpênicos, b-sitosterol, fitosterol, lecitina, vitaminas A, B, D, E e K, aminoácidos e G.A.B.A., ferro, fósforo, tiamina, riboflavina, niacina e ácido ascórbico. Outros elementos isolados são as persenonas A e B.
Flores: flavonóides (quercetin-3-O-ramnosídio, isoramntin-3-O-glicosídeo, cumaril-kaempferol, etc).
Sementes (caroço): sesquiterpenos (seychelleno, allo-aromandreno, b-selineno, valenceno, b-bisaboleno, y-cadineno, b-bisabolol e epi-a-bisabolol e tetradecanal) (Resumos Q-027); ácidos graxos (com abundante a-tocoferol), proantocianidina (biflavonil), hidrocarbonetos, derivados esteroídicos e glicídicos, taninos, polifenóis e uma saponina.
Folhas: óleo essencial difere a composição segundo a variedade: (estragol, metil-chavicol, a-pineno, b-pineno, metil-eugenol, cineol e limoneno); dopamina, serotonina, flavonóides (quercetina, catequina, epicatequina e cianidina); abacatina (princípio amargo); persiteol, taninos, persina e tiramina.
Córtex: principalmente taninos.
Outros: ácidos málico e acético, carnitina, carotenóides, resinas, etc. (Alonso, 2004).

Partes utilizadas:
Folhas, frutos, sementes, óleo, botões florais.
As folhas devem ser usadas secas, porque as verdes causam palpitações cardíacas.
Uso popular: 
A polpa dos frutos, além de nutritiva devido aos teores de proteína, sais minerais e vitaminas, é considerada na medicina tradicional como carminativa e útil contra o ácido úrico, enquanto os chás obtidos das folhas, da casca e das sementes raladas são considerados úteis como diurético, antirreumático, carminativo, antianêmico, anti-diarreico e anti-infeccioso para os rins e bexiga, além de estimulante da vesícula biliar, estomáquico, emenagogo e balsâmico.
A polpa é utilizada em casos de caspa e prurido do couro cabeludo, associado com babosa (Aloe vera).
A casca do fruto moída é recomendada contra as verminoses.
Propriedades Medicinais:

Adstringente,
Afrodisíaca,
Antianêmica,
Antidiarréica,
Anti-helmíntica,
Anti-idade,
Anti-inflamatória,
Antirreumática,
Antioxidante,
Antisséptica das vias respiratórias,
Anti-sifílica,
Antitênia,
Antiuricêmico,
Balsâmica,
Carminativa,
Cicatrizante,
Colagoga,
Colarética,
Depurativa,
Digestiva,
Diurética,
Emenagoga,
Emoliente,
Estomáquica,
Rejuvenescedora,
Tônica capilar,
Umectante,
Vermífuga,
Vulnerária.

Ações farmacológicas: 

Destacam-se suas propriedades anti-inflamatórias, analgésicas, antimicrobianas, diuréticas e cosméticas, além de atividades imunomoduladora e antitumoral, essas em animais de laboratório (Alonso, 2004).
Na França foi desenvolvida uma formulação com as frações insaponificáveis do abacate (Persea americana) e da soja (Glycine max), para o tratamento da artrose. Foi baseada na riqueza em esteróis destas frações e de uma possível relação sobre o metabolismo do cálcio, similar a ação da vitamina D (Magloire H., 1988 apud Alonso, 2004).
Em outro estudo onde participaram 264 pacientes que sofriam de osteoartrite (coxartrosis o gonartrosis fémoro-tibial) constatou-se que a administração de uma cápsula de insaponificáveis de abacate-soja de 300mg diários, produziu melhorias significativas em 70% dos casos. Mesmo assim, 100% do grupo de pacientes medicados com diclofenaco diminuíram a dose, em média, de 114mg para 40mg diários (Maheu E., 1992 apud Alonso, 2004).
Em ratos o extrato hidroalcoolico reduziu a glicemia e melhorou o estado metabólico dos animais.
Em camundongos, a farinha de semente de abacate reduziu o colesterol total e o colesterol LDL.

Indicações Terapêuticas:

Abscessos, (Infusão das folhas secas e Tintura)
Ácido úrico elevado, (Infusão das folhas secas e Tintura)
Afecções da Vesícula Biliar, (Infusão das folhas secas e Tintura)
Afecções das vias Respiratórias, (Infusão das folhas secas e Tintura)
Afecções das vias Urinárias, (Infusão das folhas secas e Tintura)
Afecções hepáticas, (Infusão das folhas secas e Tintura)
Aftas, (Infusão das folhas secas e Tintura)
Amenorrea (brotos por infusão)
Anemia, (Fruto in Natura)
Amigdalite, (decocção da semente ralada)
Artritismo, (Fruto in Natura e externamente a decocção da semente ralada)
Bronquite, (Infusão das folhas secas e Tintura)
Cálculos renais (Fruto in Natura)
Cansaço, (Infusão das folhas secas e Tintura)
Caspa, (Infusão das folhas secas e Tintura)
Cefaleia, (Infusão das folhas secas e Tintura)
Cistites, (Infusão das folhas secas e Tintura)
Cólica histérica, (Infusão das folhas secas e Tintura)
Déficit de secreção biliar (Infusão das folhas secas e Tintura)
Depuração do sangue, (caroço raspado)
Diarréia,  (caroço raspado)
Disenterias,  (caroço raspado)
Dispepsia, (Infusão das folhas secas e Tintura)
Distúrbios da digestão, (Infusão das folhas secas e Tintura)
Diurético, (Infusão das folhas secas, Tintura e fruto in natura)
Eczemas do couro cabeludo, (Infusão das folhas secas e Tintura)
Edemas, (Infusão das folhas secas e Tintura)
Eructações, (Infusão das folhas secas e Tintura)
Estomatite, (Infusão das folhas secas e Tintura)
Estresse, (Infusão das folhas secas e Tintura)
Febre intermitente, (Infusão das folhas secas e Tintura)
Flatulência, (Infusão das folhas secas e Tintura)
Fluxo menstrual irregular, (Infusão das folhas secas e Tintura)
Gota, (Infusão das folhas secas e Tintura)
Hepatite, (Infusão das folhas secas e Tintura)
Hipertensão, (Infusão das folhas secas e Tintura)
Inchaço dos pés, (Infusão das folhas secas e Tintura)
Indigestão,  (brotos por infusão)
Indisposições, (Infusão das folhas secas e Tintura)
Infecções da bexiga, (Infusão das folhas secas e Tintura)
Inflamações dos dedos, (decocção da semente ralada)
Nevralgia do Trigêmeo, (Infusão das folhas secas e Tintura)
Obstipação intestinal (Fruto in Natura)
Panariços, (Infusão das folhas secas e Tintura)
Queda de cabelo, (Infusão das folhas secas e Tintura)
Reumatismo, (Caroço ralado e posto em álcool)
Infecções Renais, (Infusão das folhas secas e Tintura)
Rouquidão, (Infusão das folhas secas e Tintura)
Secreções catarrais, (Infusão das folhas secas e Tintura)
Sífilis, (Infusão das folhas secas e Tintura)
Tosse, (Infusão das folhas secas e Tintura)
Tuberculose, (Infusão das folhas secas e Tintura)
Uremia, (Infusão das folhas secas e Tintura)
Uretrites, (Infusão das folhas secas e Tintura)
Varizes, (pó do caroço diluído em água)
Verminoses. (caroço por infusão)

Interações medicamentosas: 

Os pacientes que recebem tratamento antidepressivo com inibidores da mono-amino-oxidase (I.M.A.O.) podem sofrer crises hipertensivas devido a tiramina. (Sapeika N., 1976 apud Alonso, 2004).
O consumo de 100 a 200g de abacate diários em pacientes que estão recebendo terapia anticoagulante com warfarina (anti-vitamina K), diminui o efeito desta droga. Os pesquisadores desconhecem o mecanismo desta interferência (Blickstein et al., 1991 apud Alonso, 2004). 
Efeitos adversos e/ou tóxicos:
Os frutos do abacate são, em geral, bem tolerados para o consumo humano. Existem relatos de alergia associado ao látex.
As cápsulas de insaponificáveis de abacate-soja são bem toleradas, no entanto, longe das refeições podem ocasionar regurgitações.
Existem evidências que o consumo de folhas de abacate podem ser tóxicas para animais, por exemplo cabras (Alonso, 2004).
Contraindicações:

Não é recomendado a decocção das folhas do abacateiro para mulheres grávidas, por ser abortivo (Alonso, 2004), melhor não usar em mulheres que amamentam.
Não é indicado para quem está fazendo regime para perder ou manter o peso, por ser muito calórico e gorduroso.
Não existem contraindicações para o uso externo.
Posologia e Modo de uso: 
Infusão: colocar 1 colher (sopa) de folhas secas ou flores picadas para 1 litro de água. Tomar uma xícara 3 vezes ao dia. Consumir em temperatura morna.(Martins, 2000)
Extrato Fluido: 2 a 10 mL por dia.
Extrato seco: 1g ao dia.
Decocção com a semente: ralar o caroço e medir uma colher de sopa para meio litro de água. Ferver, repousar e filtrar. Tomar duas vezes ao dia.

Uso externo:


Decocção da semente ralada: compressas locais com a infusão ou óleo, friccionar várias vezes ao dia.
Caroço ralado e posto em álcool: friccionar várias vezes ao dia.
Cataplasma: tostar e moer o caroço do abacate, misturar o pó no próprio chá e aplicar com gaze nos locais afetados (LIMA, 2000).
Fito-cosmético: o óleo é empregado na forma de cremes e loções.
Polpa do fruto: é usado sob a forma de alimento.
Observações: 
Não se dispondo de folhas previamente secas e necessitando fazer uso interno do chá, ao invés de infusão, deve-se fazer decocção (ferver pelo menos 5 minutos) das folhas verdes, com o vasilhame destampado para a evaporação dos componentes tóxicos.

Usos etnomedicinais:


Os indígenas Shuar do Equador trituram e maceram as sementes em aguardente para o tratamento de picadas de serpentes; os Tikunas da Colômbia empregam a decocção das folhas como hepatoprotetor; os Sionas-Secoya e os Quechua atribuem-lhe propriedades contraceptivas; no México é frequente o uso da casca seca e moída do fruto como antidisentérico e a infusão das folhas é aplicada para lavar feridas infectadas na pele; em Camerún (África), a decocção das folhas e córtex é usada para hipertensão arterial e a infusão das folhas é empregado como abortivo (Alonso, 2004).



Uso Magico:

ABACATEIRO (Persea americans)
Planeta: Vênus
Elemento: Água
Deidade: Afrodite, Vênus
Poderes: amor, luxúria, beleza.
Usos mágicos: refeições com o fruto são indicadas para noites afrodisíacas como os incas faziam, varinhas ou bastões feitas da árvore são ótimas para todos os propósitos.

Que os deuses lhe abençoem!

Raffi Souza.

Nenhum comentário:

Postar um comentário